ACOMPANHE NAS REDES:

AMAZONAS PARA O MUNDO VER

Eduardo Braga organizou uma extensa rede de instituições culturais que inclui teatros, centros culturais, como o Palacete Provincial e o Palácio da Justiça, que ele entregou em seu mandato, bibliotecas, museus, galerias e espaços de leitura, além do Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro e a Pinacoteca do Estado. Com isso, ofereceu ao público amazonense a oportunidade de participar dos projetos, concursos e de todas as atividades artísticas envolvendo a música, o cinema, o teatro, a dança, a museologia, as artes plásticas, o patrimônio material e imaterial.

Ele ainda incrementou eventos já existentes, como o Festival de Ópera do Amazonas, e criou o Festival de Cinema, Festival de Teatro e o Festival de Jazz, além de incentivar os grandes eventos nos centros culturais; a formação técnica e artística; e a promoção nacional e internacional da cultura amazonense com a divulgação dos festivais, exposições e atividades diversas nas bibliotecas, enfim, tudo o que pudesse significar o cumprimento das metas do governo e o alcance da política pública de cultura.

Todas as grandes Festas Folclóricas do Estado foram incentivadas. A Ciranda de Manacapuru ganhou três novos galpões para as agremiações que disputam aquele Festival; as escolas de samba de Manaus ganharam um complexo onde hoje constroem suas alegorias e organizam seus desfiles; o Festival da Canção de Itacoatiara recebeu investimentos crescentes; a festa popular mais tradicional do Amazonas, o Boi-Bumbá ou simplesmente Boi de Parintins, passou a ser transmitida em rede nacional, atraindo mais investimentos e o Festival Folclórico do Amazonas ganhou um novo espaço, no Centro Cultural Povos da Amazônia, onde também foi instalado um complexo que inclui o mais moderno auditório multi-uso do Norte e um acervo histórico-cultural sobre o homem da região.

Destaques

Coligação União Pelo Amazonas - PMDB • PR • Solidariedade • PCdoB • PTB • PSDC